unicamp.gif (2045 bytes)

 

Programa da Disciplina

Textos

Lista de Discussão

Quadro de Avisos

Bibliografia

Links

Página Principal


pd.jpg (4763 bytes)

 

EMENTA

Interpretar a relação educação e sociedade e educação e sociologia. Estudo sobre o tratamento teórico recebido pela educação no discurso sociológico dos autores clássicos das Ciências Sociais (Marx, Durkheim, Weber) e no discurso dos autores contemporâneos.

 Objetivos Gerais

Os alunos já iniciaram nos estudos sociológicos por intermédio da disciplina Sociologia Geral, portanto, tiveram contato com o estudo das teorias sociológicas, principalmente de autores clássicos (Durkheim, Weber e Marx). Assim, cabe-nos, nesta disciplina, situar o tratamento teórico que recebeu a educação no discurso sociológico em autores clássicos e contemporâneos das ciências sociais.

Inicialmente, discutiremos o objeto da disciplina e seu significado nos cursos de pedagogia. A sociologia da educação não deve ser compreendida como uma sociologia "especial", mas como uma sociologia que toma a educação como objeto de análise. Também, a educação deve ser compreendida como prática social, presente em todas as sociedades, que cria e recria existências e é produto e produtora das relações sociais. A educação e a cultura, portanto, são processos sociais amplos que ocorrem independentemente da escola, embora também ocorram em seu interior.

Em seguida, por intermédio dos autores clássicos, especialmente aqueles já consagrados nas ciências sociais, analisaremos as relações entre a educação e sociedade e sociologia e educação, com o objetivo de compreender as várias interpretações que a sociologia confere à educação. Não podendo desenvolver todas as teorias existentes na área, procuraremos introduzir os alunos no estudo de alguns aspectos da educação no discurso sociológico, através de alguns escritos de Durkheim, Weber e Marx. A seleção dos clássicos parte da constatação da forte presença deles nas análises sociológicas contemporâneas sobre educação, embora somente Durkheim tenha elaborado um estudo sociológico da educação, estrito senso.

Finalmente, o que significam as possibilidades analíticas que os autores clássicos e contemporâneos oferecem para o desenvolvimento dos estudos sociológicos sobre educação, no Brasil, a partir do processo de institucionalização das ciências sociais brasileiras?

Assim, faremos num nível apenas informativo, um quadro de "retrospecção histórico-sociológica" sobre o desenvolvimento dos estudos de sociologia da Educação em sentido amplo, privilegiando o estudo das relações educação e sociedade e educação e sociologia. Localizaremos, também, em nível informativo, o desenvolvimento dos estudos de Sociologia da Educação no país. Situaremos, historicamente, a educação enquanto objeto das ciências sociais brasileiras. Levantaremos alguns aspectos sobre a produção cultural relativa ao tema da educação nos cursos de ciências sociais e nas Faculdades de Educação. Discutiremos que vertentes metodológicas têm predominado. Analisaremos, na literatura mais recente, o fenômeno da "sociologização do discurso pedagógico", e como está se dando o diálogo entre sociólogos e pedagogos, assim como o papel dos estudos de sociologia da educação na formação do pedagogo.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Através do conteúdo proposto nesta disciplina, pretendemos, a partir das preocupações que os alunos já trazem sobre as questões sociológicas:

a)

contribuir, de alguma forma, para o desenvolvimento de uma "imaginação sociológica", que lhes permita "pensar sociologicamente";

b)

contribuir, em algum sentido, para sistematizar e ampliar o conhecimento sociológico que os alunos já possuem;

c)

contribuir para que os alunos possam se iniciar no estudo da educação no discurso sociológico, através do estudo dos três quadros teóricos mencionados,

d)

criar condições para que os alunos, no contato com as teorias sociológicas, ao invés de fazerem apenas um "ensino-leitura, desvinculado do real, possam compreender as condições em que as mesmas foram formuladas, as contribuições que trouxeram para o estudo da relação educação e sociedade em sentido amplo, assim como interpretar o espaço de difusão do pensamento dos três autores na sociedade brasileira;

e)

contribuir para que os alunos, no estudo desses três autores, possam ampliar o seu referencial teórico atual sobre a sociologia da educação, mostrando-lhes a necessidade de estarem abertos para o estudo de novas interpretações.

DINÂMICA DAS AULAS

A aula expositiva será um recurso importante no desenvolvimento da disciplina, será o momento que possibilitará a sistematização do conhecimento. Na exposição serão colocadas informações, dados e argumentos teóricos a serem refletidos pelo aluno. A aula expositiva será intercalada com seminários sobre textos teóricos e literários, audio-visuais, etc.

Todas as unidades serão iniciadas com uma aula expositiva historicizando a análise que o autor elabora e apresentando os conceitos e argumentos fundamentais.

Os alunos participarão das aulas através de seminários: haverá uma exposição ou problematização introdutória do(s) texto(s), o conjunto da classe fará uma revisão da leitura e em seguida discutirá uma problemática. A síntese de conclusão será elaborada individualmente e por escrito. Esta proposta pretende orientar os alunos quanto à leitura, análise e interpretação oral e escrita de textos.

Duas outras linguagens serão utilizadas - filmes e literatura - como recursos didáticos, nos seminários e possibilidades de outros olhares sobre a temática.

De acordo com os avanços do grupo poderão ser convidados outros professores que trabalhem temáticas específicas com os aportes teórico-metodológicos propostos na disciplina.

AVALIAÇÃO

Os alunos serão avaliados quanto às possibilidades individuais de leitura, interpretação e análise dos textos propostos durante a disciplina.

O aluno será avaliado quanto à:

produção escrita – capacidade de articulação escrita entre as diferentes discussões com vistas a resolver determinada problemática. Ao final de cada unidade o aluno produzirá uma síntese das leituras e das discussões realizadas (escrita individualmente).

intervenções nos seminários – capacidade de leitura, interpretação, articulação e exposição oral de textos apresentados no programa.

Os alunos, também deverão formular questões (por escrito e oralmente) sobre as dúvidas que tiveram na leitura dos textos. Esse trabalho poderá ser feito em grupo ou de forma individual. A cada texto haverá um grupo de alunos responsáveis por iniciar a discussão de um texto. Será levado em conta a participação de todos, bem como a discussão e apresentação de trabalhos e/ou seminários, em grupo ou individualmente.

PROGRAMA

1- Introdução:

Tema: Sociologia da educação: uma "sociologia especial"?

Esta introdução tem como proposta questionar a concepção que concede um estatuto de disciplina especial às análises sociológicas sobre a educação. Nosso ponto de partida, na disciplina, é compreender a educação como objeto de análise sociológica.

Textos:

DANDURAND P. & OLIVIER E. (1991) : "Os Paradigmas perdidos: ensaio sobre a sociologia da educação e seu objeto" in Teoria & Educação No. 3 Porto Alegre .

CROCHIK, José Leon. Apontamentos sobre o texto "Educação após Auschwitz" de T.W. Adorno. Educação e Sociedade, no.42, agosto, 1992, p.342-351.

[Leitura Dirigida] ADORNO, Theodor W. Educação após Auschwitz. In: ADORNO, T.W. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995 (p. 119- 138)

Unidade I - Educação e Sociologia – pressupostos teóricos e metodológicos:

Tema: Educação como processo socializador – Durkheim

Introdução ao estudo da educação no discurso sociológico: análise de alguns aspectos do pensamento de Émile Durkheim

A escola tem se afirmado historicamente como uma das instituições nucleares da modernidade através das quais são criadas e recriadas as referências identitárias do mundo que partilhamos. A análise dos dispositivos pedagógicos construídos por Durkheim é exemplar para a compreensão das funções homogeneizadoras e diferenciadoras da educação.

Textos:

Aula expositiva:

DIAS, Fernando Correia. Durkheim e a sociologia da educação no Brasil. Em Aberto, Brasília, ano 9, n.46, p. 33-48. abr.jun 1990.

GIDDENS, Anthony. As idéias de Durkheim. São Paulo: Cultrix, 1981.

FAUCONNET, Paul. La obra pedagógica de Durkheim. In: DURKHEIM, Émile. Educación y sociología. 3a. ed. Barcelona: Ed. Peninsula,1990.

FERNANDES, Heloisa Rodrigues. David Émile, um sociólogo em Paris. In: FERNANDES, Heloisa Rodrigues. Sintoma social dominante e moralização infantil – um estudo sobre a educação moral em Émile Durkheim. São Paulo: EDUSP/ESCUTA, 1994 (p.19-47)

Bibliografia de apoio: (revisão da disciplina de Sociologia geral): objetividade e identidade na análise da vida social

DURKHEIM, Émile. As regras do metódo sociológico. 6ª. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1974. (p.XIX - XXXIII, 51-65).

DURKHEIM, Émile. Da divisão do trabalho social. In: Os pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (cap. I, II e III, p. 325-372).

(1º seminário) DURKEIM, Émile. Educação e Sociologia. 12ª ed. São Paulo: Melhoramentos, 1955, capítulo 1, A educação, sua natureza e função. p. 33-56. (há vários exemplares na biblioteca FE).

(2º seminário) FERNANDES, Heloisa Rodrigues. Moral laica: uma avaliação de paixões. In: FERNANDES, Heloisa Rodrigues. Sintoma social dominante e moralização infantil – um estudo sobre a educação moral em Émile Durkheim. São Paulo: EDUSP/ESCUTA, 1994 (p.49-108, capítulo 2).

(3º seminário) FERNANDES, Heloisa Rodrigues. A paixão do educador no imaginário da sugestão. In: FERNANDES, Heloísa Rodrigues. Sintoma social dominante e moralização infantil. um estudo sobre a educação moral em Émile Durkheim. São Paulo; EDUSP/ Escuta, 1994. (p. 109-146, capítulo 3).

(4º seminário) FERNANDES, Heloisa Rodrigues. A missão colonizadora da escola. In: FERNANDES, Heloísa Rodrigues. Sintoma social dominante e moralização infantil. um estudo sobre a educação moral em Émile Durkheim. São Paulo; EDUSP/ Escuta, 1994. (p. 147-199, capítulo 4).

Encerramento da unidade I: Filme:

2 - Unidade II - Educação e Sociologia – pressupostos teóricos e metodológicos

Tema: Educação em suas relações com formas específicas de dominação - Weber

A dominação como forma de poder e, portanto, relação social está presente, como um dos elementos mais importantes, nas instituições educativas. Através da análise e compreensão dos tipos de dominação busca-se esclarecer o que significam no debate atual as noções de competência e mérito decorrentes da dominação fundada na autoridade racional-legal.

Textos

Aula Expositiva

BENDIX, R. Dominação, organização e legitimidade: a sociologia política de Weber. In: ________. Max Weber - um perfil intelectual. Brasília: UNB, 1986 (p.229-236; 359-375).

WEBER, Max. A ciência como vocação. In: Max Weber – ensaios de sociologia. GERTH, H.H. E WRIGHT MILLS, C. (orgs.). 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar ed. 1971, (p.154-183)

(5o. Seminário) WEBER, Max.. A ciência como vocação. In: Max Weber – ensaios de sociologia. GERTH, H.H. E WRIGHT MILLS, C. (orgs.). 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar ed. 1971, (p.154-183)

(6o.Seminário) WEBER, Max. Os letrados chineses. In: GERTH, H.H. e WRIGHT MILLS, C. (orgs.) Max Weber - Ensaios de sociologia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar ed., 1971, p.471-501.

(7o. Seminário) WEBER, Max. Burocracia. In: Economia e Sociedad. Capitulo VI, Fondo de Cultura Economica, Buenos Aires 1944 (p.85 a 130)

3 - Unidade III - Educação e Sociologia – pressupostos teóricos e metodológicos:

Tema: Educação e ideologia - Marx

Introdução ao estudo de alguns aspectos do pensamento de Karl Marx .

A leitura proposta é a discussão dos processos de formação dos indivíduos, isto é, daquilo que denominamos educação (escolarizada ou não), para além da mera formação/deformação de consciências, para além de uma particular ação ideológica-educativa.

Textos

Aula expositiva

IANNI, Octávio. Marx - sociologia. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1980 (introdução, p. 7-42)

Bibliografia de apoio: (revisão da disciplina de Sociologia geral): a mercadoria: os fundamentos da produção da sociedade e do conhecimento

MARX, Karl. La mercancía. In: ____. El capital - crítica de la economía política. Buenos Aires. Ed. Cartago, 1973, (livro 1, seção1, capítulo1).

DOMMANGET, M. Os Grandes Socialistas e a Educação. Capitulo XII, Publicações Europa-América, Portugal 1974 (p 334 a 365)

[8º seminário] MARX e ENGELS. A ideologia alemã (I - Feuerbach). 2a. ed. São Paulo: Ciências Humanas, 1979. (a ideologia em geral p. 23-77).

[9o. seminário] CHAUI M. Educação e ideologia. In Educação e Sociedade.

(10º seminário) Capítulo 2 – Condições históricas da reprodução social. In: IANNI, Octávio. Marx - sociologia. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1980. p. 62-73 (também encontrado no Posfácio da Contribuição à crítica da economia política)

Capítulo 4 – Infra estrutura e superestrutura. In: IANNI, Octávio. Marx - sociologia. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1980, p. 82-96 (Prefácio da Contribuição à Crítica da Economia Política);

(11º seminário) ENGUITA, Mariano F. A divisão do trabalho: desenvolvimento unilateral e falsa consciência. In: Trabalho, escola e ideologia - Marx e a crítica da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993 P. 109-133).

(12º seminário) ENGUITA, Mariano. Alienação, reificação e fetichismo; a realidade invertida. In: Trabalho, escola e ideologia - Marx e a crítica da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993. (p. 134-175)

Encerramento da unidade III - filme: Cuore.

4 - Unidade IV: As análise sociológicas sobre educação no Brasil: as matrizes explicativas

Tema: A sociologia da educação: pressupostos teóricos do seu desenvolvimento histórico.

Discutiremos o objeto da disciplina oferecendo um quadro informativo dos trabalhos considerados relevantes para a área e localizando as tendências metodológicas que assumem.

A análise dos estudos sociológicos sobre a educação no Brasil deverá apreender algumas matrizes explicativas das relações entre as ciências sociais e a educação. Esta análise será referida à perspectiva histórica e à institucionalização das Ciências Sociais, no Brasil.

Textos:

Aula expositiva:

MARTINS, Carlos Benedito. Sociologia e Educação: diálogo ou ruptura? Cadernos Cedes, Campinas, São Paulo, Papirus, no. 27, 1992

SILVA, Tomaz Tadeu da. A sociologia da educação entre o funcionalismo e o pós-modernismo: os temas e os problemas de uma tradição. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. O que produz e o que reproduz em educação – ensaios de sociologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992, capítulo 1, p. 13-28)

(13º seminário) CUNHA, Luiz Antônio. Educação e sociedade no Brasil. In: ANPOCS. O que se deve ler em Ciências Sociais no Brasil. São Paulo: Cortez/ ANPOCS, 1987.

(14º seminário) GOUVEIA, Aparecida Joly. As ciências sociais e a pesquisa sobre educação. Tempo Social, Revista de Sociologia, USP, São Paulo, v.1, n.1, p. 71-79, 1o. sem.1989.

GOUVEIA, Aparecida Joly. Orientações téorico-metodológicas da sociologia da educação no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.55, p.63-67, nov. 1985.

[15o. seminário] GADOTTI M. Concepção Dialética da Educação. Capitulo IV Editora Cortez 1988 (p. 139 a 162)

Bibliografia complementar:

  • Introdução

CANDIDO, Antonio. Tendências no desenvolvimento da sociologia da educação. In: PEREIRA, Luiz e FORACCHI, Marialice M. Educação e sociedade - leituras de sociologia da educação. 11a ed. São Paulo: Cia Ed. Nacional, 1983. p. 7-18.

BAUDELOT, Christian. A sociologia da educação: para quê?. Teoria e Educação, n.3, p. 29-42, 1991.

DANDURAND, Pierre e OLLIVIER, Émile. Os paradigmas perdidos - ensaio sobre a sociologia da educação e seu objeto. Teoria e Educação, n.3, p.120-142, 1991.

ESTEVES, António Joaquim e STOER, Stephen R. (orgs.). A sociologia na escola – professores, educação e desenvolvimento. Porto: Edições Afrontamento, 1992 (parte I, capítulo 2: STOER, S.R., Sociologia da educação e formação de professores p. 53-63; ESTEVES, A.J. A sociologia da educação na formação de professores, p. 65-80; ESTEVES, A J. A sociologia da educação não escolar: notas de leitura p. 97-106).

PAIVA, Vanilda (org.) A atualidade da escola de Frankfurt. Contemporaneidade e Educação, Revista temática de Ciências Sociais e Educação, ano I, no.0, setembro, 1996.

  • 1ª Unidade: Os leitores de Durkheim:

FERNANDES, Heloisa Rodrigues. Dispositivo de moralização laica e sintoma social dominante; um estudo de educação moral em Émile Durkheim. Tempo Social Revista de Sociologia, USP, vol 2, no. 2, p. 165-186, 1990.

FERNANDES, Heloísa Rodrigues. Um século à espera das regras. Tempo Social. Revista de Sociologia,USP, São Paulo, v.8.n. 1, p. 71-83, maio de 1986.

FREITAG, Barbara. A questão da moralidade: da razão prática de Kant à ética discursiva de Habermas. Tempo Social. Revista de Sociologia, USP, São Paulo, v.1.n. 2, p. 7-44, 2º semestre, 1989.

GIANNOTTI, José Artur. A sociedade como técnica da razão; um ensaio sobre Dukheim. CEBRAP, no. 2, São Paulo: Brasiliense, p.45-84, 1977.

ISAMBERT- JAMATI, Viviane. Para onde vai a sociologia da educação na França?. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, no. 157, p. 538-539, 1986.

LUKES, Steven. Bases para a interpretação de Durkheim. In: COHN, Gabriel (org.) Sociologia – para ler os clássicos. Rio de Janeiro: Livros técnicos e científicos, p. 15-46, 1977.

LUKES, Steven. Émile Durkheim, su vida, su obra. Madri: Siglo Vientiuno, 1984.

ORTIZ, Renato. Dukheim: arquiteto e herói fundador. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São Paulo: ANPOCS, v. 4, no. 11, p. 5-22, out., 1989.

PIZZORNO, Alessandro. Uma leitura atual de Durkheim. In: COHN, Gabriel (org.) Sociologia; para ler os clássicos. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, p. 47-84, 1977.

RODRIGUES, José Albertino. Durkheim. São Paulo: Ática, p. 7-37, 1988.

Ficção: Émile Zola. A besta humana. São Paulo: ed. Moderna, s/d.

  • 2ª Unidade: Os leitores de Weber)

COHN, Gabriel (org.). Introdução. In:____. Weber: sociologia. São Paulo: ed. Ática, 1982. (p.7-34).

BENDIX, R. Max Weber y la sociología contemporánea. In: PARSONS, Talcott et alii. Presencia de Max Weber. Buenos Aires: Nueva Visión, 1971. (p.39-59).

  • 3ª Unidade: Os leitores de Marx)

BOBBIO, Norberto e BOVERO, M. Sociedade e Estado na filosofia política moderna. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CHAUÍ, Marilena. de Souza. Ideologia e educação. Educação & Sociedade. Campinas, ano II, n.5, p. 24-40, jan. 1990.

GIANOTTI, José Artur. Origens da dialética do trabalho. São Paulo: Difel, 1966.

HOBSBAWM, Eric. Introdução. In: MARX, K. Formações econômicas pré-capitalistas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, p. 13-64, 1977.

HOSBSBAWM, Eric (org.) História do marxismo, vol. 1, O marxismo no tempo de Marx. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

IANNI, Octávio. Karl Marx. 2ª ed. São Paulo: Ática, 1980 (Introdução p. 7-42)

LEFEBVRE, H. O conceito de estrutura em Marx. In: BASTIDE, R. Usos e sentidos do termo estrutura. São Paulo: Heber, 1971.

MANACORDA, M.A. La pedagógia marxiana. In: ____. Marx y la pedagogía moderna. 2a. ed. Barcelona: Oikos-tau, 1979. (p. 19-121).

MARCUSE, H. Razão e Revolução. Rio de Janeiro: Paz e Terra, p. 219-293, 1978.

NOGUEIRA, Maria Alice. As concepções de Marx e Engels em matéria de educação e ensino. In:____. Educação, saber, produção em Marx e Engels. São Paulo: Cortez e Autores Associados, 1990. (p. 89-205)

ROSDOLSKY, R. Genesis y estrutura de El Capital de Marx. Madri: Siglo Vientiuno, 1979.

ficção: RAMOS, Graciliano. Infância.17a. ed. Rio de Janeiro: Record, 1981.

CAMINHA, Adolpho. A normalista. São Paulo: Ática, 1985.

  • 4ª Unidade: As análise sociológicas sobre educação: pressupostos teóricos de seu desenvolvimento

BECKER, Egon. Um discurso científico sobre a educação em crise: a sociologia da educação na RFA, Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, vol 67,no. 157, p. 552-570, 1986.

CUNHA, Luiz Antônio. Reflexões sobre as condições sociais de produção da sociologia da educação. Tempo Social, Revista de Sociologia, USP, São Paulo, v. 4, ns. 1-2, p. 169-182, 1994.

ENGUITA, Mariano. Educação e teorias da resistência. Educação & Realidade, Porto Alegre, vol 14, no. 1, p.3-15, jan./jun, 1989.

FORQUIN, Jean-Claude. A "nova sociologia da educação" na Grã-Bretanha: orientações, contribuições teóricas, evolução (1970-1980). In: FORQUIN, Jean-Claude (org.) Sociologia da educação – dez anos de pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1995.

FREITAG, Barbara. Escola, estado e sociedade. São Paulo: Edart, p. 9-37, 1977.

GOMES, Cândido Alberto da Costa. A sociologia da educação na perspectiva internacional. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, vol 67, no. 157, p. 517-519, 1986.

GOUVEIA, Aparecida Joly. A escola, objeto de controvérsia. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, no. 16, p. 15-19, 1976.

GOUVEIA, Aparecida Joly. A pesquisa educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 1, jul. 1971.

GOUVEIA, Aparecida Joly. A pesquisa sobre educação no Brasil de 1970 para cá. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n.19, p.75-80, dez, 1976.

GOUVEIA, Aparecida Joly. Comentários sobre os trabalhos de Luiz Antônio R. Cunha e Silke Weber, In: MARTINS, Carlos Benedito. Sociologia e Educação: diálogo ou ruptura? Cadernos Cedes, Campinas, São Paulo, Papirus, no., 27, p. 81-83, 1992.

HAECHT, Anne Van. A escola à prova da sociologia. Lisboa: Instituto Piaget, Horizontes Pedagógicos, 1992 (parte I – A emergência da sociologia "crítica" da educação p. 9-84).

IANNI, Octávio. A sociologia e o mundo moderno. Tempo Social, Revista de Sociologia, USP, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 7-27, 1992.

ISAMBERT-JAMATI, Viviane. Ciência da educação: um plural importante quando se trata de pesquisa. Teoria & Educação, no.5, p. 170-172, 1992.

NEVES, Ângela Cunha, EIDELMAN, Jacqueline e ZAGEDKA, Polymnia. Tendências da pesquisa em sociologia da educação na França (1975-1983). In: FORQUIN, Jean-Claude (org.) Sociologia da educação – dez anos de pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1995.

OLIVEN, Arabela Campos. A sociologia da Educação nos Estados Unidos e na Inglaterra: uma análise comparativa. In: MARTINS, Carlos Benedito. Sociologia e Educação: diálogo ou ruptura? Cadernos Cedes, Campinas, São Paulo, Papirus, no., 27, p.45-60, 1992. (O texto de OLIVEN, A C. pode ser encontrado também em Educação & Realidade, v.16, n. 2, jul/dez, 1991, p.3-13).

SOBRAL, Fernanda. Comentários sobre os trabalhos de Luiz Antônio R. Cunha e Silke Weber. In: MARTINS, Carlos Benedito. Sociologia e Educação: diálogo ou ruptura? Cadernos Cedes, Campinas, São Paulo, Papirus, no., 27, p.85-87, 1992.

STOER, Stephen R. Notas sobre o desenvolvimento da sociologia da educação em Portugal. In: ESTEVES, António Joaquim e STOER, Stephen R. A sociologia na escola – professores, educação e desenvolvimento. Porto: Afrontamento, 1992.

 


PAD  |  LITE  |  FAE  |  UNICAMP

 

web designer Andressa de Andrade